quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Coordenadorias Regionais escolhem novos titulares e ampliam presença feminina

  As Coordenadorias Regionais do Movimento Tradicionalista Gaúcho concluíram o processo de escolha dos novos titulares para a gestão de 2018. Em 25 delas houve reeleição. As regiões 14ª, 18ª, 22ª, 24ª e 28ª optaram por novos nomes.

            Com a eleição de Paula Oliva Brundt na 18ª RT, substituindo Gilberto Bittencourt Silveira, e de Luce Carmen Meyer na 24ª substituindo Dalmo Inácio Meyer, a presença feminina na liderança é ampliada, de 7 para 9, das 30 regiões. Segundo o presidente do MTG, Nairo Callegaro, trata-se de um reflexo das mudanças sociais. “A participação feminina sempre foi fundamental no tradicionalismo e é uma satisfação enorme a confirmação desses nomes nos cargos de liderança”, afirma.

            As cerimônias de posse devem acontecer nos meses de janeiro e fevereiro.

Confira os novos coordenadores:
Luiz Henrique foi reeleito Coordenador da 1ªRT
1ª RT - Luiz Henrique Lamaison
2ª RT - Ivan Fernando Botelho 
3ª RT - Ivanir Ribeiro     
4ª RT - Ilva Maria Borba Goulart              
5ª RT - Luiz Clóvis Vieira               
6ª RT - Roberto dos Santos Ferreira       
7ª RT - Gilda Galeazzi    
8ª RT - Lauri Terezinha B de Almeida     
9ª RT - Jorge Luiz Kersting Malheiros     
10ª RT - Olacides Fortes da Silveira         
11ª RT - Luiz Carlos Rigon            
12ª RT - Fabiano Vencato da Silva           
13ª RT - Luiz Sérgio Fassbinder 
14ª RT - Valnei Pereira 
15ª RT - Claudio Rogélio Correia Oliveira              
16ª RT - Flávio Luiz Menezes     
17ª RT - Evandro Martins Otero               
18ª RT - Paula Oliva Brundt        
19ª RT - Cleusa Cecilia Visioli Sotoriva    
20ª RT - Luciana Rolim  
21ª RT - Silvania Zart Valle Affonso         
22ª RT - Ricardo Glademir Haag
23ª RT - Rozimar da Silva Ferreira            
24ª RT - Luce Carmen Meyer
25ª RT - Rodrigo de Macedo Ramos       
26ª RT - Hilda Maria Heinen       
27ª RT - Everaldo Dutra
28ª RT - Rodrigo Bordignon        
29ª RT - Valdecir Rodrigues da Silva       
30ª RT - Carlos Alberto Moser

Fonte: Assessoria Imprensa MTG

Se fosse vivo ainda, Barbosa Lessa estaria completando 88 anos

Ainda acho que ele partiu muito cedo. Meu amigo Luiz Carlos Barbosa Lessa, folclorista, músico, escritor, advogado e historiador partiu naquele 11 de março de 2002, precocemente.

BARBOSA LESSA o multimídia do Sul do Brasil

             Luiz Carlos Barbosa Lessa foi um autor/artista múltiplo e inigualável, Este grande nome da cultura gaúcha nasceu em 13 de dezembro de 1929, numa chácara nas imediações da histórica vila de Piratini (capital farroupilha). Sua mãe ensinou-lhe as primeiras letras e as quatro operações, e ainda teoria musical, um pouco de piano e uma grande novidade da época: datilografia.

             Durante o curso ginasial na cidade de Pelotas (Ginásio Gonzaga), aos doze anos de idade fundou um jornalzinho escolar: "O Gonzagueano", e também criou o conjunto-mirim "Os Minuanos". Para cursar o 2º grau colegial transferiu-se para Porto Alegre, ingressando no Colégio Júlio de Castilhos. Aos dezesseis anos passou a colaborar para a revista "Província de São Pedro", e obteve seu primeiro emprego como revisor e repórter da "Revista do Globo".

            No ano seguinte participou da primeira Ronda Crioula/Semana Farroupilha e, munido de um caderno de aula para coletar assinaturas de eventuais interessados em participar da fundação do primeiro Centro de Tradições Gaúchas, o "35 CTG", no ano de 1948, e que em 2018 registrará 70 anos. Nessa agremiação pioneira ele retomou o interesse pela música regional e, na falta de repertório, foi criando suas primeiras canções, entre elas a eterna toada "Negrinha do Pastoreio".

            No ano de 1952 tornou-se bacharel pela Faculdade de Direito de Porto Alegre (UFRGS). Nesta época formou com o amigo Paixão Cortes uma abnegada dupla de pesquisadores, que de 1950 a 1952, realizou levantamentos e produziu a recriação das danças tradicionalistas. O resultado da pesquisa foi o livro "Manual de Danças Gaúchas" e o disco "Danças Gaúchas" (o terceiro LP produzido no Brasil), na voz da cantora paulista Inezita Barroso.

            Incentivou a realização do 1º Congresso Tradicionalista do Rio Grande do Sul, levado a efeito na cidade de Santa Maria, em 1954, quando apresentou e viu aprovada sua tese "O sentido e o valor do Tradicionalismo". Em 1956 montou um grupo teatral para apresentação de sua comédia musical "Não te Assusta, Zacaria!" e saiu divulgando a cultura gaúcha pelo Rio Grande a fora.

            Nesse mesmo ano, participou do III Congresso Tradicionalista, em Ijuí, onde conheceu a "prenda" Nilza Gonçalves, que lecionava em São Luiz Gonzaga mas com sua família residindo em Uruguaiana. Já então residia em São Paulo. Em 1959 veio autografar seu romance "Os Guaxos" em Porto Alegre, reencontrou Nilza, viajou a Uruguaiana e pediu a mão da moça, levando-a para a capital paulista. Da união dois filhos: Guilherme, hoje analista de sistemas em Porto Alegre, e Valéria, casada com urn norte-americano e residente no estado de New Jersey - USA.

           Lessa residiu na capital paulista até 1974, envolvido com produção de rádio, televisão, teatro e cinema, mas detendo-se, finalmente, na área de propaganda. Retornou a Porto Alegre, para trabalhar na Mercur Publicidade e depois, na CORSAN. No governo Amaral de Souza foi Secretário Estadual da Cultura, tendo então idealizado a Casa da Cultura Mário Quintana, pré-inaugurada em 1983. Aposentou-se como jornalista, em 1987.

           A partir dai adotou Camaquã onde manteve até sua morte em 11 de março de 2002, uma pequena reserva ecológica chamada Sítio da Água Grande. Com a esposa Nilza, dedicaram-se a produção artesanal de erva-mate e plantas medicinais. Recebeu o título de Cidadão Camaquense, além de ser Patrono de Honra da Casa do Poeta Camaquense -Capocam.

            Barbosa Lessa tem destacado nome na música e literatura. São dezenas de músicas gravadas (incluindo a música das danças recriadas com Paixão Cortes), num total de 62 títulos. Destaque para o clássico "Negrinho do Pastoreio", o batuque afro-riograndense "Bambaquererê", a missioneira "Balseiros do rio Uruguai", a eterna "Quando sopra o minuano - Levanta gaúcho", e o Hino Tradicionalista, gravado por Manoel Camaquã.

            Na literatura, infatigável edição de livros a álbuns, coincidentemente num mesmo total de 62 títulos. Destaque para o romance "Os Guaxos", prêmio nacional de romance 1959, da Academia Brasileira de Letras, os contos de "Rodeio dos Ventos", o ensaio indigenista "Era de Are", a novela policial "O crime é um caso de Marketing", o ensaio histórico "Rio Grande do Sul, prazer em conhecê-lo", e os quadrinhos de "Garibaldi Farroupilha". Após sua morte foi lançada a obra "Prezado Amigo Fulano", último livro escrito pelo autor.

           Em 1999, foi agraciado com o título de um dos 20 Gaúchos que marcaram o Século XX, promoção da RBS. No ano 2000 foi escolhido Patrono da 46ª Feira do Livro de Porto Alegre. Em 2005 após três anos de sua morte foi criada em Camaquã a Associação Amigos da Água Grande, entidade que visa preservar a memória deste grande multimídia do sul do Brasil.

Na imagem, a Revista Lessinha, 
lançada sábado, em Camaquã.
Catullo Fernandes

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

31º Seminário Estadual de Prendas será em janeiro

           O Movimento Tradicionalista Gaúcho realiza, no dia 13 de janeiro, o 31º Seminário Estadual de Prendas. O evento é paralelo ao 66º Congresso Tradicionalista, que será realizado em São Jerônimo de 12 a 14 de janeiro.
           O Seminário terá como tema "O protagonismo da mulher na tradição gaúcha", afirma a atual prenda estadual, Renata da Silva. Segundo ela, esta edição do Seminário foi pensada com base na adesão do MTG ao movimento da ONU #HeForShe e no constante questionamento sobre o machismo no tradicionalismo.
            A proposta é debater o protagonismo da mulher na construção da sociedade gaúcha atual, e em consequência, do Movimento Tradicionalista Gaúcho. Segundo Renata, a prenda representa a força desta construção dentro e fora dos CTGs e, mesmo que o reconhecimento seja pequeno frente ao espaço que já foi conquistado, as prendas levantam esta bandeira para refletir e agir em cima do preconceito, do pensamento e das atitudes machistas que nos cercam, para finalmente darmos voz a uma causa que afeta não só as prendas, mas todas as gaúchas.


Confira a programação:
14h: Recepção e credenciamento
14h30min: Abertura oficial do evento
15h: Roda de conversa 
Diálogos da contemporaneidade: a mulher construindo o cenário atual da sociedade
16h30min: Dinâmica com as Prendas do Rio Grande do Sul
17h: Encerramento

Fonte: Ass.Imprensa MTG

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

MTG chama entidades finalistas do Enart 2017 para reunião


         O vice-presidente artístico do Movimento Tradicionalista Gaúcho, José Roberto Fischborn, realizará no dia 16 de dezembro reunião com as entidades tradicionalistas finalistas do Enart 2017 – Encontro de Artes e Tradição.

            A reunião acontece das 14 às 16 horas, na sede do MTG (Av. Guilherme Schell, 60, Porto Alegre). Fischborn solicita a presença de um representante de cada entidade, podendo ser patrão ou responsável autorizado pelo patrão.

            O evento exige inscrição antecipada, no link https://form.jotformz.com/jrfischborn/finalistas-enart2017.

            O Enart foi realizado de 17 a 19 de novembro em Santa Cruz do Sul, em sua 32ª edição.

Fonte: Assessoria de Imprensa MTG

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

MTG publica editais de convocação para Congresso e Assembleia Eletiva

              O Movimento Tradicionalista Gaúcho publicou em seu site os editais de convocação para o 66º Congresso Tradicionalista Gaúcho e para a Assembleia Geral Eletiva. Os eventos acontecerão de 12 a 14 de janeiro em São Jerônimo.

             Segundo o edital da Assembleia Geral Eletiva do Conselho Diretor e Junta Fiscal do MTG, estão convocadas as entidades tradicionalistas a se fazerem representar por seus delegados. O credenciamento será permitido até as 12hs e o processo eleitoral ocorre entre 14hs e 17hs do dia 13 de janeiro de 2018, sábado, no Ginásio Municipal de Esportes. As chapas deverão ser encaminhadas para registro na Secretaria Geral do MTG, por requerimento de, no mínimo,  dez entidades filiadas efetivas, até oito dias antes da data e hora marcada para a Assembleia Geral Eletiva.

             Para o Congresso, tradicionalistas interessados em encaminhar proposições têm prazo até o dia 13 de dezembro.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO 

            De acordo com o que determina o artigo 28 do Estatuto do MTG combinado com o inciso XIII do artigo 175 do Regulamento Geral, convoco as Entidades Tradicionalistas filiadas ao MTG e aos congressistas definidos na Legislação Tradicionalista para o 66º CONGRESSO TRADICIONALISTA GAÚCHO, a ser realizado de 12 a 14 de janeiro de 2018, na cidade de São Jerônimo. 

Nairo Callegaro
Presidente do MTG


EDITAL DE CONVOCAÇÃO
ASSEMBLÉIA GERAL ELETIVA
                                                        
                        No uso das atribuições que me são conferidas pelo Estatuto e Regulamento
Geral do Movimento Tradicionalista Gaúcho – MTG, convoco as Entidades Tradicionalistas Efetivas, a se fazerem representar por seus delegados, para a Assembleia Geral Eletiva do Conselho Diretor e Junta Fiscal do MTG, cujo credenciamento será permitido até às 12hs e o processo eleitoral entre 14hs e 17hs do dia 13 de janeiro de 2018, sábado, no Ginásio Municipal de Esportes – Av Rio Branco, nº366 - Bairro Centro, durante o 66º Congresso Tradicionalista, na cidade de São Jerônimo
.
                        Conforme o Regulamento Geral, artigo 117, as chapas deverão ser encaminhadas para registro na Secretaria Geral do MTG, por requerimento de, no mínimo 10 (dez) entidades filiadas efetivas, até 8 (oito) dias antes da data e hora marcada para a Assembleia Geral Eletiva.

Nairo Callegaro
Presidente do MTG

Porto Alegre, 01 de dezembro de 2017

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Vem aí o 22º Contreg, em Guaíba, no CTG Darci Fagundes


Nota de Falecimento - Cel. Raul Pereira Dias

Ele começou suas atividades tradicionalistas lá no pioneiro 35  CTG, em 1982, e deu vasta contribuição ao tradicionalismo no passado e foi braço forte da 1ªRT por muitos anos. Cel Raul nos deixou.

             A 1ª Região Tradicionalista do MTG comunica e lamenta, profundamente, o falecimento do tradicionalista e Conselheiro Benemérito do MTG,  Raul Pereira Dias. Nosso profundo sentimento de pesa à Dona Lucí, e a  família nesta hora difícil.

             Muito embora porto-alegrense, desde cedo admirava os usos e costumes do povo rio-grandense. Talvez algum “gene” herdado de seu avô e de seu pai, tropeiros nos campos de Bagé (seu pai era natural de Aceguá). Quando jovem, procurou assistir algumas atividades, com alguma dificuldade, porque as mesmas eram pouco divulgadas na época. Mais tarde, seus estudos e, posteriormente, o exercício de sua atividade profissional (exercito brasileiro), o mantiveram afastados de Porto Alegre e, até mesmo do Rio Grande do Sul, por quase 15 anos.
            No MTG exerceu diversas funções e foi secretário geral em três gestões. Durante este período, além de todos os Congressos e convenções participou do conselho do MTG. Participou, ainda, da atualização do Regulamento do FEGART, em Farroupilha,e, por diversos anos, da montagem, organização e execução dessa atividade. Raul e sua esposa, dona Lucí, também foram encarregados de diversos concursos de prendas em nível de CTG, regional e estadual. Foi o criador do CONTREG, da 1ªRT.